Resenha: Loucamente sua


Depois de 10 anos afastada de casa Delaney está de volta para atender ao funeral do seu padrasto Herry. Mas é surpreendida com uma cláusula do testamento dele: Para receber sua parte ela terá que permanecer um ano inteiro na cidade. Já Nick, o filho bastardo de Herry, para receber a sua parte da herança não poderá ter nenhuma relação com Delaney. Só que o problema é que no passado eles tiveram uma história mal resolvida, e agora que ela está de volta pode reacender a antiga chama entre os dois. 

Como toda história da Rachel a gente sabe que os dois vão ficar juntos, mas mesmo assim você não consegue se desprender da história. 


Delaney sempre teve tudo do bom e do melhor, era muito protegida pelo padrasto e fazia de tudo para agradar ele e sua mãe. Já Nick foi rejeitado pelo pai e batalhou muito para ter as coisas. Ele é do tipo mulherengo e bad boy. Confesso que no inicio do livro eu sentir muita raiva dele, mas depois você vai compreendendo melhor a parte dele, e vendo como ele sofreu com a indiferença do pai. 

A história é tipo Romeu e Julieta, as duas famílias se detestam e não aprovam a relação dos dois. No passado rolou muitos conflitos, e Delaney fugiu para viver a sua vida longe do padrasto controlador. E agora que ele morreu, ele ainda tentava controlar a sua vida. Ficar nessa cidade é como perder as asas e ser sufocada novamente pela mão de ferro do padrasto, de sua mãe e das línguas ferinas das fofoqueiras da cidade. 


Bom, a situação entre eles é bem complicada. Uma relação de amor e ódio. Mas a história não deixa de ser divertida. Até porque Nick ama provocar Delaney, e a gente acaba dando muitos gargalhadas. Gostei muito da escrita fluída que valoriza o cotidiano e semeia sonhos românticos durante a leitura. Nick depois se mostra tão fofo com Delaney que rola uns suspiros. hahaha 

O livro tem 343 páginas, mas quando você menos espera, já acabou a leitura. É um livro de romance mas não é nada meloso, que é ótimo! Recomendo, não só esse mas todos os livros dessa série da Rachel. Para quem não sabe no que estou falando, veja esse post aqui

CONVERSATION