O fim de uma dor


Tudo começou a mais de 2 anos atrás. Em agosto de 2011 eu machuquei o meu cóccix, que para quem não sabe fica no finalzinho da coluna. A princípio o médico dizia que eu havia machucado o meu músculo e iria demorar um tempo para me recuperar. Só que em 2012 eu descobrir que tinha um cisto no cóccix, que por sinal é muito comum, conheci várias pessoas que teve. Antes eu nem sabia que isso existia. Se eu quisesse ficar boa eu tinha que fazer uma cirurgia. É assustador no início, mas é muito melhor do que ficar com um cisto. Eu fiquei 2 anos e 1 mês com aquele cisto. Pode não parecer muito tempo, mas para mim foi muito tempo. Só quem já passou por isso sabe como é. 

Passei esse tempo usando 2 absorvente na calcinha, porque saia sangue e secreção direto. Toda vez que ia tomar banho, era mais 2 absorvente. Minha mãe comprava de pacotes grandes. Eu também sentia muitas dores, um desconforto horrível. No ano de 2012 foi o meu último ano na escola, e foi muito ruim. Porque eu tinha que usar calça, e a dor era muito grande. Andava toda torta e devagar, quase que parando. Não pude aproveitar nada do meu último ano na escola. E é claro que a tendência era piorar. Nesse ano eu não estava mais usando short, e nem salto alto, porque sentia dor. Então tudo o que eu fazia era ficar dentro de casa. Porque fiquei muito limitada: Não podia andar muito, não podia sentar direito, não podia tomar banho direito, porque a água batia e sentia dor, e nisso eu não podia lavar direito o meu cabelo. Enfim, não podia fazer muito coisa. 

E com isso fiquei sem energia, fiquei desanimada, com baixo estima. É muito ruim se sentir assim. Eu vi meus amigos indo para a faculdade, e eu dentro de casa sem poder fazer nada. E não to contando isso para sentirem pena de mim, mas para contar que aquele cisto não trouxe só coisas ruins. Porque tudo na vida tem o seu lado bom, sabiam? Durante esse tempo eu pude perceber que a vida é muito curta para a gente perder tempo com besteira, parece clichê né? Mas quando a gente passa por uma situação difícil, inclusive se essa situação for em relação a saúde da gente, é que podemos ver que essa frase é super importante. Muitas coisas eu pude aprender, e uma delas é ser agradecida. Agradecer por tudo o que Deus me deu, por todo o cuidado que ele tem por mim. Tem pessoas que se perguntam porque Deus permiti que esse tipo de coisa aconteça, e eu respondo: Porque temos que passar por isso. Temos que aprender coisas importantes para moldar o nosso caráter. 

Sofri bastante, mas aprende bastante também. E fico muito feliz em poder dizer que no dia 17 de setembro eu fiz a minha tão sonhada cirurgia. Só Deus sabe o quanto foi difícil conseguir essa cirurgia. Mas eu conseguir! E ainda estou sendo observada pelo médico, e por sinal, ainda estou fazendo curativos. Para quem não sabe como é feito a cirurgia, ela fica aberta. Sim, fica um buraco aberto. E vem sarando de dentro para fora. Não tem mais buraco, to só esperando a pele de cima fechar e cicatrizar. 

No começo quando eu descobrir que tinha um cisto e ia ter que passar por uma cirurgia, fiquei bastante triste. Chorei bastante. Resmunguei bastante. Só que aos poucos fui aprendendo coisas super importantes, como já falei. E quando fui fazer a cirurgia, me internei um dia antes no hospital, e me colocaram no quarto com uma menina que tava com câncer nos rins. Foi quando a minha ficha caio. O meu problema não era nada em relação aquela garota. O meu problema tinha solução e no caso dela não. Até hoje eu gostaria de saber se ela ainda está viva. E foi aí que eu puder perceber que eu reclamava muito da vida, e tinha que parar com isso. No hospital eu vi casos muito piores, de doenças horríveis.  

Existem pessoas que tem tudo na vida e vivem reclamando. Graças a Deus não sou mais assim. E para finalizar, eu quero dizer que eu tenho um motivo muito grande para agradecer a Deus. Minha mãe soube de uma pessoa que tem o mesmo cisto que eu tinha, e ela não vai poder fazer cirurgia, porque o cisto criou raízes, ou seja, ela vai passar a vida toda com aquele cisto horrível. Tenho ou não tenho motivos para agradecer a Deus?   

CONVERSATION