O amor


O tempo parecia correr e nem se percebia. Tudo estava calmo e normal, como um dia comum. O sol parecia estar mais perto hoje e ela, ah… Ela estava linda como sempre.
Por alguns momentos eu tive a impressão de que o sol refletia o brilho dela. Depois parei para pensar se não era a sua translucides que estava refletindo o brilho do sol. Fazia um dia lindo e estávamos em um lugar parecido com um bosque, não sei definir ao certo. O gramado verde se perdia e quase não era notado quando ela sorria. Na verdade, ainda tenho dúvidas se o mundo não para quando ela está por perto.
Piadas mal contadas, gargalhadas sem motivo e brincadeiras fora de hora. Abraços que me arrancavam a alma e embrulhavam o estômago, sussurros que me torturavam e uma sensação estranha de sentir preenchido o que antes era vazio. Vez ou outra, sentia uns arrepios que ainda não sei explicar de onde vieram. Assim seguia aquela tarde de sábado.
Ao olhar o relógio, me assustei. Horas já haviam se passado enquanto estávamos ali. A cesta já estava quase vazia, restara apenas alguns morangos e algumas maçãs. O céu tinha um tom alaranjado de fim de tarde e parecia que a cada minuto que passava, o olho dela se ajustava com a luz que estava indo embora e o seu sorriso ficava cada vez mais cintilante.
Escureceu. Pude sentir a luz dos seus olhos iluminando nosso caminho de volta, ver como o seu cabelo ficava mais reluzente a luz do luar. O vento de começo de noite soprava, o que só fez dar um efeito fenomenal ao seu cabelo que balançava de acordo com o sopro.
Mãos uma na outra e seguimos nosso percurso de volta para casa. Por um momento, pensei em nunca mais ter que soltar aquela pele tão macia… Mas chegara a hora. Estávamos de frente a porta de sua casa, e era hora de se despedir. Demos um abraço e repetimos o ritual de lábio sob lábio. 
Senti uma parte minha ficar por ali. Por mim, acho que nunca sairia do seu abraço. Já anoitecera, e o que antes era uma brisa de fim de tarde, agora já era um vento frio da meia noite. Estava aquecido pelos meus cobertores, vendo minha sombra ser refletida no teto. Ela mal se fora e já me sentia vazio outra vez. O luar refletia seu brilho em minha janela. Eu conhecia aquele brilho… Pude sentir uma parte dela comigo naquele instante. Amor na maioria das vezes parece intrigante. 
Decidi me render as lembranças. Me entregar ao sono. Resolvi voltar a um lugar que apenas eu posso entrar e sair a hora que quiser. Já ela, tenho a sensação que ficou aprisionada por lá. Fechei os olhos, enfim te encontrei. Adormeci, como um rei.

Texto feito por Rodrigo Oliveira

CONVERSATION

10 comentários:

  1. Que texto lindo *---*

    http://opiniao---propria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Que texto lindo! Amei! Super profundo e sei lá, transparece sentimento. Adorei demais!

    http://ladiabolique.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Que lindo, só o amor mesmo pra unir palavras tão belas em um texto.♥

    PiinkCookie.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Lindo texto, o amor é tudo isso mesmo. (:

    haysahass.wordpress.com

    ResponderExcluir
  5. Lindo demais o texto, adorei!
    www.espacegirl.com

    ResponderExcluir
  6. Ah, ficou bonito mas não faz muito meu estilo de texto. Já é o 3° blog hoje que vejo usando uma foto de 500 dias com ela *---*
    Beijos,
    http://ladylikeoficial.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Adorei o texto, florzinha.

    Xerim :)
    www.trilouca.com

    ResponderExcluir
  8. Nossa, adorei o texto. Muito legal a escrita. :) Um beijão e até mais.

    www.queridaga.com

    ResponderExcluir
  9. Muito lindo esse texto
    Mas ainda não estou no clima para o dia dos namorados

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Adoro textos assim, tão românticos.
    Fico pensando se existe mesmo homem que pensam desse jeito.
    Lindo esse texto que vc escolheu.
    bjos.

    http://as-coisas-mais-doces.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Instagram

Segue aí!